Consumo legalizado da maconha no Uruguai tirou cerca de 22 milhões de dólares do narcotráfico

O cadastro de compradores para comprar nas farmácias aumentou 12% nos últimos dois meses.

O Uruguai passou a comercializar maconha em farmácias em julho de 2017. Um relatório de balanço da evolução das três vias de acesso ligadas à produção, distribuição e acesso à maconha para fins recreativos foi publicado em novembro passado pelo Instituto de Regulação e Controle da Cannabis (IRCCA).

A agência estima que o mercado regulado de maconha desde a implementação desses mecanismos significa que 22 milhões de dólares “deixarão de ser canalizados pelo mercado ilegal”.

Atualmente existem 41.376 pessoas autorizadas a acessar a maconha para uso recreativo de maneira regulamentada no país de 3,5 milhões de habitantes. Esse número equivale a 28% das pessoas que declararam o uso dessa droga na VI Pesquisa Nacional de Uso Doméstico de Drogas, divulgada em setembro de 2016.

O relatório destaca que as três vias de acesso à maconha mostraram uma tendência crescente linear desde a implementação de cada uma delas. Nos últimos dois meses o cadastro de pessoas que cultivam a cannabis em casa cresceu 3% e a filiação a clubes de cannabis aumentou 5%. O maior incremento nesse período pode ser visto nos compradores de maconha nas farmácias, que aumentaram 12%. O IRCCA considera que a incorporação de três novas farmácias no sistema influenciou esse aumento. Através dessas lojas, 1.916 quilos foram vendidos desde julho de 2017.

La Diaria – 16/01/2019 (com tradução e informações adicionais de Rogério Tomaz Jr.)

Leave a Reply